UMA BIBLIOGRAFIA

UMA BIBLIOGRAFIA

PEÇAS:

ÉSQUILO. Oréstia. Agamenon, As Coéforas e As Eumênides. 8.ed. Rio de Janeiro, Zahar, 2010.

SÓFOCLES. Trilogia Tebana. Édipo Rei, Édipo em Colona e Antígona). 8 ed. Rio de Janeiro, Zahar, 1998.

(…)

E todos desta coleção, que são 9 volumes, e 24 peças.

Tudo na tradução maravilhosa de Mário da Gama Kuri

 

OUTROS TEXTOS da época QUE CONTÉM PEDAÇOS DOS MITO GREGO

A Teogonia e Os Trabalhos e os Dias, de Hesíodo

A Iliada e a Odisseia, de Homero, na tradução de Frederico Lourenço

Poética, de Aristoteles, coleção Os Pnesadres, na tradução de Eudoro

O Asno de Ouro, de Apuleio

As Metamorfoses, de Ovídio.

 

PARA TIRAR DÚVIDAS SOBRE O MITO

Dicionário de Mitologia Grega e Romana, de Mário da Gama Kury

Mitologia Grega, de Pierre Grimal, contendo no terceiro capítulo os mitos que estudamos aqui: São eles: a expedição dos Argonautas, o ciclo tebano, o ciclo dos Atrides, o de Hércules, o de Teseu e, por fim, as aventuras de Ulisses.

 

TEXTOS DE APOIO nos quais me baseei para este curso

A Tragédia Grega, de Albin Leskin

Uma história de guerra, de John Keegan

As Origens do Pensamento Grego, de Jean Pierre Vernant

La mujer en la Grécia clássica, de Claude Mosse (não encontrei em português)

Teatro Grego: tragédia e comédia, de Junito de Souza Brandão

Começando pelas coisas primeiras

Sobre o livro Poética, de Aristóteles.

Este é o primeiro parágrafo da Poética:

“Falemos da poesia  dela mesma e das suas espécies, da efetividade de cada uma delas, da composição que se deve dar aos mitos, se quisermos que o poema resulte perfeito, e, ainda, de quantos e quais os elementos de cada espécie e, semelhantemente, de tudo quanto pertence a esta indagação  começando, como é natural, pelas coisas primeiras.”

Vejam a simplicidade: se você eliminar o que tem entre os travessões, o que você vai ter?

“Falemos da poesia começando, como é natural, pelas coisas primeiras.”

Isso é o objetivo do livro, condensado em uma frase simples, com a beleza de “começar pelas coisas primeiras”, que dá todo o sentido à prática da compreensão de qualquer tema.

O que há entre os travessões pode ser enumerado em tópicos, que são os tópicos que ele vai desenvolver no trabalho. Quer ver?

“dela mesma e das suas espécies, da efetividade de cada uma delas, da composição que se deve dar aos mitos, se quisermos que o poema resulte perfeito, e, ainda, de quantos e quais os elementos de cada espécie e, semelhantemente, de tudo quanto pertence a esta indagação”

  1. dela mesma e
  2. das suas espécies,
  3. da efetividade de cada uma delas,
  4. da composição que se deve dar aos mitos, se quisermos que o poema resulte perfeito, e, ainda,
  5. de quantos e quais os elementos de cada espécie e, semelhantemente,
  6. de tudo quanto pertence a esta indagação

Então, a leitura fica fácil quando perdemos o medo de “não entender”. Só aqueles experientes entendem da primeira vez.

Sentiu alguma dificuldade? Leia em voz alta. As palavras adquirem sentido, forma, som e cor. Cuidado com a pontuação: vírgula é uma pausa curta e, depois dela, sempre vem mais alguma coisa. O ponto fecha a ideia.

Este texto se destina às pessoas que estão inscritos no Grupo Teatro Grego. Mas se você leu e gostou, considere se inscrever no curso que começa dia 15 de agosto. Informações no link http://sympla.com/casadaribeira